quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Triunfante é quem tem o domínio de si mesmo

(Assim quiçá contribuirá melhor com o processo civilizatório)



Embora a vida real não tenha um roteiro a ser seguido
Eu cá comigo verdadeiramente acho muito que:
- Quem bem se controla pra seu próprio contento
E  também ao de todos os demais a olhos vistos  
Possui a força de transformar-se sem cessar todo dia,
E não se permitirá jamais senão a ser luz lampejante
Por onde quer que venha a pés em chão caminhar
No escorrer dos dias que a vida lhe ofertar generosa
Pra nunca deixar de iluminar a quem quer que seja
Que por ventura ou desventura encontre-se nublado
Pelos desmandos de seu próprio descaminho pessoal
Aos quais não soube nem saberá nunca como pôr-lhes rédeas  
Com assaz firmeza sem hesitar quiçá um só instante sequer!


RELMendes – 24/10/ 2018

terça-feira, 2 de outubro de 2018

DESIDOSAR


-Se isto, DESIDOSAR, é totalmente
I-m-p-o-s-s-í-v-e-l...
Então, convivamos muito bem:
- Com a nossa idade acumulada
(Ou como se diz por ai: - Apenas
juventude amontuada, uai!)
- Com as nossas vistas turvas...
(É só andar às apalpadelas uai!)
- Com as nossas pernas a tropeçar incertas
Por aqui e também por lá acolá...
(Ora, é só caminhar sem desanimar uai!)
- Com as galhofadas ou chacotas...indecorosas,
De pessoas mal-educadas...
Quer jovens...inconsequentes,
Ou quer até também idosos...inescrupulosos,
Que já velhos se esquecem que o são...ora!
(Uai, enquanto os cães ladram...
a carruagem passa...sô!)
- Com o descaso inconcebível,
Abandono deplorável...
E maus tratos absurdos
Com que manipulam seus idosos
Alguns filhos, parentes e afins...
(Uai, precês ai, faz-se um BO que, nesses casos,
por força dos ditames da lei do Estatuto do Idoso,
é ACONDICIONADO,
isto é, prossegue por si só,
independente de advogado,
pelos os tramites da JUSTIÇA, sô!)
E com tantos outros com"s...
Com os quais temos
Que conviver diariamente...
Independente de nosso "Status Quo"!
Ara! É só prosseguir sempre enfrente...
Sem desanimar... Jamais uai!

-Putzgrila! Mas ainda bem que ,ainda hoje,
Podemos levar conosco...
Tudo, tudinho...mesmo,
Que caiba em nossos bolsos...remendados,
Ou em nossos embornais...enxovalhados,
E também, em nossos corações generosos...
Aonde amealhamos n’alma...gentil,
Sonhos nunca ditos e esperanças tantas...
Daí nossos corações ainda pulsarem...fortemente:
Por quem acalentamos...carinhosamente,
Um dia lá no pretérito...distante,
E por quem se dispôs...hoje,
A deslizar conosco...pela vida,
Em busca das coisas
Lá na frente.

RELMendes 01/10/2016

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Amar... Só se for agora!


-Nunca espero as estrelas despencarem
Ao amanhecer para eu dar cabo ao meu
Amor despudorado vez que muito me apraz
Que ele aconteça sob o claro luar argênteo...

-Nunca espero jamais o sol não está mais a pino  
Pra eu retornar ligeiro ao nosso ninho de amor...
Pois antes que o crepúsculo adormeça, almejo
Lançar-me sem hesitar em teu aconchegante regaço
E ao se achegar a noite, quer enluarada ou em breu,
Encontrar-nos-á por decerto um agarradinho ao outro
Tentando eternizar de toda maneira aquilo que
Por si só e em si mesmo já transpira eternidade...

RELMendes – 21/09/2018


sábado, 8 de setembro de 2018

Quem sou eu?


-Ah! Eu sou apenas um passarinho...
- Ora sonso à beça
- Ora serelepe por de mais
Que sempre foge espantado...
Se importunado impertinentemente
Por alguns curiosos... indiscretos e inesperados,
Que de repente se achegam sorrateiros
Sem serem esperados nem tampouco convidados.

-Ah! E que sempre quando importunado
Refugia-se lá  pelas bandas do detrás de si mesmo,
Que devem ficar...penso eu, no esconderijo
De seus singelos versinhos ternurentos.

-Enfim, eu sou apenas um passarinho...
Ressabiadíssimo, sempre prestes a ir e vir
Voando  voando  a brincar nos ares
Até pousar sereno ou alopradamente
No aconchego macio de sua amada...
E fazer a noite bocejar arrepiada de inveja.

RELMendes -  04-05-2015

Segredo do “AMOR” que nunca termina...



-Calado... Observava atento:
- O palmilhar sorrateiro do “AMOR”
Que, ziguezagueando, se achegava  discreto...
Para surpreender , repentinamente,
Àqueles que, a calacearem por ali desprevenidos,
(Lá em seu tortuoso caminho de solidão),
Ansiosos  esperavam...pelo “AMOR” anelado,
Sem titubearem um só instante sequer!

-O “AMOR.”..  Ah , o “AMOR”!
Ele, o amor ,nada tem  a ver
Com a alucinada paixão avassaladora
Que violenta. sem pena, nem dó...
O vadio coração...de qualquer um
Que ousa insistir em lhe dar trela!

-O “AMOR”... Ah, o “AMOR”!
Ele é algo totalmente divino,
E porquanto, é algo que nunca termina!
Porque sutilmente...aos pouquinhos,
Ele vai alinhavando, um ao outro,
De seus agraciados, até uni-los para sempre
Com seus ternos vínculos de eternidade...

Montes Claros(MG), 23-01-2012
RELMendes

sábado, 28 de julho de 2018

Quem se faz de cego não percebe nada


-Se estou de posse de minha visão
Em plenitude total...
Por que não treinar melhor meu olhar
Para perceber o que faço tornar-se invisível?

-Há coisas lindas ou tristes demais
Para as quais fazemos vistas grossas:
- O maltrapilho faminto a esmolar
- Os esmoleres dos sinais de transito
- O deficiente visual atabalhoado
Com a péssima acessibilidade
Por onde tenta caminhar...
- Os idosos (as) tentando atravessar
Uma rua...qualquer desapercebidos
- O vizinho doente que carece de nós
Para amenizar sua solidão insuportável
- As criançinhas desdenhadas pelos
Seus progenitores desalmados...

-Ora! Pra se ter uma vaga idéia
Dessa triste cegueira lamentável...
Nem o desabrochar discreto... mas belíssimo!
Das alvas camélias ao anoitecer em nosso jardim
Percebemo-lo a contento vez que hoje em dia
Não somos afeitos a contemplar a beleza escondida
No secreto das coisas simples...

RELMendes – 24/07/2018


sexta-feira, 20 de julho de 2018

Ora! Ainda há tempo para mudarmos!



-De nada valeu fingir-se pessoa de bem
Se teu coração de pedra jamais se escondeu
Num único gesto de compaixão para com quem
Precisou urgentemente do teu avarento auxílio...
Ora! Ainda há tempo para mudares!

-De nada valeu fingir-se pessoa de bem
Se tua língua ferina jamais se omitiu
Em denegrir a imagem daqueles que
Por ventura ou desventura não tiveram
Outra opção de vida senão a de viver
Ou conviver contigo tão maldizente...
Ora! Ainda há tempo para mudares!

-De nada valeu fingir-se pessoa de bem
Se jamais no percurso dos teus inúteis dias
Preocupastes-te em dar um bom dia sorrindo
Ou simplesmente perguntastes a alguém:
- Como vai você? - Apareça mais vezes!
Quem sabe ainda não te espantes
Ao te pegares dizendo em alto e bom som:
- Bom dia amigos! - A vida é muito mais bela
Com vocês por perto viu?
Ora! Ainda há tempo para mudares!

RELMendes -19/07/2018


terça-feira, 26 de junho de 2018

O Amor Cristão transcende às belas palavras




-Quem verdadeiramente ama a Deus
Tem a peito o amor a seu próximo

- Como aquele bom samaritano que socorreu a
Um desconhecido que fora assaltado e maltratado
Quase à morte por assaltantes de estradas
Que como aves de rapina surpreenderam
O pobre coitado pelo caminho -

-E com ele seu próximo partilha sem hesitar
Tudo o que traz consigo no momento do encontro
Se preciso for até as sandálias tão necessárias
Porquanto na hora calçam-lhe os pés a caminho!

RELMendes – 21/06//2018

domingo, 10 de junho de 2018

Insistir em partilhar amor atento faz a diferença


-Como ninguém diz o que se esconde
Nos desvãos de su’alma plangente...
Quiçá/ por que/ neste então/ em que se vive/
Todos estejamos/ por demais/ ensimesmados/
Ou ocupados/ conosco mesmos/ e com nossos
Tantos anelos/totalmente/ descompromissados
Em se aperceberem/ de pronto/ dos lamentos/
E dos tantos porquês/ pelos quais alguém
Se perde em prantos/ á cântaros!
-Concito-lhes /então/ a revertermos/ de pronto/
Tão lastimável despautério!

-Pois/ pressinto que isto/ensimesmar-se/
A mim me parece/por demais/ prejudicial:
- Tanto pra quem se impede de partilhar
Sua atenção para muito além de si mesmo...
- Quanto pra quem precisa ou quer espantar
-  pra longe de si -
Os tantos embrolhos / magoadores/ que fazem
S’alma  plangir/ aos borbotões/ de desolação/
Por estar sozinho/ à deriva de sua invisível tristeza/
Tão  dolorosa/ pra si mesmo!
-Concito-lhes /então/ a revertermos/ de pronto/
Tão lastimável despautério!


RELMendes – 07/06/2018


segunda-feira, 4 de junho de 2018

A FLOR- ANGÉLICA DO SERTÃO

Madre Maria Angélica da Eucaristia ocd
Carmelo Maria Mãe da Igreja e Paulo VI
    (Um belo exemplo de Fé!)


-Carinhosamente...convido-lhes a trilhar...comigo,
Pelos caminhos de minha eterna gratidão
À essa amada Flor-Angélica do Sertão...
Então, vamos lá ver...agora,
O que tenho, em versos, sobre ela, a dizer-lhes:

-Mas donde será mesmo, que a nós veio...
A Flor-Angélica-Sertaneja,
Esse ser humano...tão luminoso,
Tão profundamente feminino,
Tão sabiamente acolhedor,
Tão imensuravelmente maternal...
E tão aparentemente frágil...quase-etéreo,
Que...inebriado de “Divinal Amor”...
Sempre a todos encanta e ilumina
Com seu suave sorriso...discreto,
E seu maternal olhar acolhedor?

- Bom! Se verdadeiramente, assim o é, e é...
Então, revelar-lhes-ei...em prosa e versos,também,
Outros tantos ternos detalhes, maravilhosos,
Do semblante espiritual...angelical,
Dessa santa mulher, totalmente, de DEUS!

-Mas insisto, sem hesitar, em perguntar novamente:
- Donde será mesmo, que poderemos encontrar
Esse Anjo-mulher-sertaneja...tão fértil...espiritualmente,
E de tão límpida transparência...espiritual,
Que a todos nós cativou...à beça, de imediato,
Logo em que, por aqui chegou, nesse Sertão,
- Com suas santas companheiras...de comunidade,
Para a fundação de um Carmelo aqui
Em Montes Claros(MG) -
Naquele já tão distante dia...tão feliz/
Em que até um belo crepúsculo /sertanejo/
Com ela e suas companheiras/se deslumbrou/
Naquele entardecer inesquecível?

-Ah! Se por ventura, há aqui, alguém...
Dentre nós...que saiba de onde ela veio,
E aonde tão bem se esconde...agora,
Essa bendita dádiva tão celestial...pra nós/
Por favor, que se apresse em nos revelar,
I-M-E-D-I-A-T-A-M-E-N-T-E!

-Pois, se de pronto...ao chegar aqui no sertão,
Esse amado Anjo carmelitano...logo se aninhou
Em nossos acolhedores corações, sertanejos,
Também de pronto, desejamos saber logo
Donde ele, esse Anjo carmelita, veio,
Onde pousou...e aonde...verdadeiramente,
Montou, entre nós, sua tenda de ternura...
Bondade e imenso Amor!

-Ah, mas quem será mesmo... Flor-Angélica-Sertaneja,
Essa tão amada flor celestial, desse sertão sofrido...
E, em que jardim, ela mesma se plantou jubilosa
Para mais, oportunamente, nos sombrear...à beça,
Com as divinas “surpresas de Deus”?

-Bom!... Há quem diga que ela veio...
Das entranhas das surpresas de “DEUS”;
Outros afirmam...veementemente,sem hesitar,
Que ela procede do “Coração Misericordioso de Jesus”;
E outros ainda, falam que veio diretamente do “Céu”...
Pra nos consolar e nos conduzir rumo à “Casa do Pai”!...

-Entretanto...verdadeiramente, há que se dizer:
- Quer por isso...ou  por aquil’outro...
Flor-Angélica-Sertaneja  veio
- para o meio de nós, e ficou conosco! -
A fim de que...com suas constantes orações, piedosas,
Deus não nos permita jamais, que nos enveredemos
Pelas sinuosíssimas,trilhas
Desse nosso tão breve, caminhar, terreno...

-E quanto, por aqui, nessas plagas distantes,
 Aonde se plantou, enfim,
Essa tão amada Flor-sertaneja?
-
Ora! Digamos que ela mesma...
Se plantou, nos sagrados jardins
Do “Carmelo de Teresa”...
Para perfumá-los ainda mais de amor...
E pra inebriar...de felicidade e alegria,
Seu “Amado Senhor Jesus”...
Que sempre vem por ali, repousar...
No apaixonado coração, de sua amada
 Flor: - irmã Maria Angélica da Eucaristia!

Montes Claros (MG), 07-05-2014
RELMendes 



quinta-feira, 31 de maio de 2018

Vem!




-Teus cabelos são,para mim, mechas de mel.
Ah! Quero brelhar-me plenamente, por elas à noite inteira!
Teus olhos, azuis ou verdes, me fascinam
Ah! Anelo que lampejem-me a mim e a meus olhos,
;Sem cessar jamais! .
Teu corpo franzino repousa no meu regaço.
(e o meu no teu!)
Ah! Almejo, imensamente, que eles se rocem
E se enrosquem à vida inteira!
Tua ausência é sombra de tristeza.
Assaz angustiante a mim, teu apaixonado amante
Que por ti,queda-se aqui, de amores!

-Então... vem depressa,sem hesita jamais!
Para que sintamos juntos, um ao outro:
- O beijo molhado da madrugada, conivente conosco,
- O último piscar de nossa estrela, curiosa à beça,
- O calor do primeiro raio do sol,a brilhar,desavergonhado,
Em nossa alcova, totalmente, desarrumada
Pelos nossos luxuriosos desvarios de amor intenso, às nuvens!

-E, por fim, ledos...de amores dados,compartilhados
E degustados, sem restrições algumas sequer,
Desfrutemos, plenamente,então, o derradeiro suspiro
De nossos corpos satisfeitos, por instantes!

São Paulo (SP), 22 de março de 1984
RELMendes

Dedos que tocam-nos a alma Mimo à amável Raquel Crusoé Loures



-Ó/ que posso eu perguntar-me  agora/ senão:
- Donde será mesmo que nos vêm/ neste então/
Estes sons tão maviosos/que ao ouvi-los/
Aos ares espalhados/ tanto acalantam-nos
Às almas ávidas/ de alumbrarem-se/mesmo sol a pino /
Até/quiçá/ às nuvens passeadoras/ a brincarem/sem cessar/
Nos altos ares celestes?

-Ora/ saber/ bem o sei eu de onde eles vêm /aos flocos:
- Simplesmente de um piano/ qualquer piano a tocar melodias!
Mas/há/ esses -  sons - que/vez por outra/ os  auscutamos/
Enternecidos/cá pelas bandas daqui /desse Sertão amado/  
Só se exalam de um piano/ ou de qualquer piano/aos ares/
Quando  ele/esse piano/ é/ hábil e prazerosamente/dedilhado
Pelas delicadas e ágeis mãozinhas/aligeiradas em tocá-lo/
Da mais terna e bela pianista deste Sertão:
- A nossa doce Raquel Crusoé!

-Ah!Sem dúvida alguma/ não há/ nesse Sertão ou alhures/
Quem não se enterneça/profundamente/ao ouvir ou vê-la
Dedilhar com maestria as teclas/ sonoras/ de um piano/
Que/ aos toques dos dedos dela/certamente/ musicalizar-nos-á/
Sem avareza/quiçá/ a Vida inteira!

RELMendes -30/05/2018


quarta-feira, 23 de maio de 2018

Se aperceber de alguns detalhes da vida é preciso


-Quem se descuida de seus pais/ na envelhecência deles/
Perde uma excelente oportunidade de conhecê-los
Sob um novo ângulo totalmente/ oposto/ ao de provedor...
Sempre ali à disposição dos filhos, pra o quê der e vier!

-Entretanto/ quem/ resilientemente/por nada desse mundo/
Não se ausenta em cuidá-los/ na envelhecência deles/
Seguramente/  desesconderá / para si mesmo/
As pessoas maravilhosas que eles/ seus pais/
Na realidade/ o são/ no silente mistério de seu ser /
Ainda pungente de vida a pulsar/ aos borbotões/
E de sonhos e mais sonhos a pulularem/ aos flocos....
Prestes a florir ao léu!

 -Mas descobrir isto/ só  após o partir deles rumo à eternidade/
E pôr-se a lamuriar-se sobre os porquês de tanta descompaixão/
É no mínino um despautério achaquante... Ora!!

RELMendes – 22/05/2018


O que passou /passou


-Tudo é tão passageiro
Vida/ Amores/ Prazeres
-Tudo é tão veloz
Sonhos// Anelos/até Dores
E banais Bem-quereres
-Tudo mal principia
E zás/ vai-se ao vento!

-Quando nos damos conta/pronto:
Restam-nos rastros/ apenas/
Daquele tudo /tão ligeiramente pleno/
Mas também/ tão ligeiramente veloz!

-E depois/ cá quedamo-nos nós/ como fôramos
Cata-ventos a girarem tresloucados/ sem cessar/
Quiçá/ a espera do retorno/ desse tudo/ passageiro/
- Tão lmprevisivelmente/rápido -
Que não voltará/novamente/ Jamais!

RELMendes – 23/05/2018




quinta-feira, 17 de maio de 2018

Meu voo é sempre altivo


-Queiram ou não/ arribo-me aos céus sim
Quer ao alvorecer esplendoroso
Ou ao anoitecer quase em breu
A qualquer momento que me apraza
E despudoradamente!

-Se me espanto de repente
Por qualquer coisinha à toa
Inexpugnavemente
Alço voo /pra bem alhures dalí
Quiçá/ por inesperado susto
Quiçá/por um instinto maior:
O de sobrevivência/ quem sabe?

-Mas sempre voo ou voarei altivo a procura
D’onde eu possa aconchegar-me tranquilo
Sem temor algum de me apoquentar à beça
Seja lá porque quer que o for!

-Será que há nesse mundo este bendito lugar?
Se há ou não/não sei/ mas anelo-o
Inexpugnavelmente!

RELMendes – 17/05/2018


domingo, 13 de maio de 2018

Parabéns à todas as mães do mundo



-Tenho por certo/ que só a reciprocidade/ explicita/
Dá início e/ sobretudo/ continuidade/ a olhos vistos/
A um grande amor ou a uma incrível amizade perenes...
Com grande chance de sucesso...permanente/
Quiçá eterno/ como a reciprocidade de amor entre mãe e filhos!

RELMendes – 10/05/2018

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Necessidade não se discute/suprisse-as



Eu tenho precisão de ser bom /à beça/
Sobretudo/nas miudezas do cotidiano.
Ou seja. Sabendo-me / também/portador
Das mesmas fragilidades humanas/ de todos/
- Que não são poucas! -
Desejo acolher-me/ a mim mesmo/ e aos outros/
Com muita sabedoria/ compaixão/à beça/
E/ sobretudo/ paciência/aos  montes/
Ora! Como quem sabe amar pra valer/ de verdade!

-É o mínimo em que devo aprimorar-me / sem hesitar/
Para ousar falar em bondade com alguém
Que/ por ventura ou desventura/ deseje
Aconselhar-se comigo sobre seu anelo de ser
Uma pessoa  pra lá de boa/ mesmo...
Senão/ nada mais sou que um hipócrita/ cretino/
Fingindo-se de santo. E isto é uma lástima!

RELMendes – 02/05/2018



sexta-feira, 27 de abril de 2018

É possível expandir a ALMA sem limites?


Ah! Expandir a ALMA sem limites:

- É uma estória de ir além...
- É um anelo de ir alhures...
- É um chamamento/ interior/
A concitar-nos /insistentemente/a ir busca
D’outras plagas...distantes!
- É o “Navegar é preciso” de F Pessoa...
- É ânsia de viajar horizontes
Desconhecidos...
-É ser viajante/ peregrino... mundo afora!

-Ah! Isto /de expandir a alma/ ao léu/
É / de per si/uma ânsia inerente
À toda criatura humana/ sem exceção!
Precisamos / então/sair / viajar/ voar...
E ir /quiçá/muito além/
De onde se possa imaginar!
Ou seja: - “Al di lá”!

RELMendes 07/04/ 2018



segunda-feira, 23 de abril de 2018

Quer mesmo/ ser /verdadeiramente/ livre / quer?




-Pois se decida a perdoar! - Perdoar sempre!
Para não cultivar ou se enredar nas malhas da erva daninha
Da avassaladora ira que sempre nos aprisiona /por demais/
A quem tentou ou tenta denegrir nossa imagem/à toa/
Ou/ simplesmente/ magoou-nos profundamente...
Quiçá/sem motivo aparente justificável!

-Então/ é só se perdoar!  - Perdoar-se sempre!
Sobretudo/ por não ser quem desejaria sê-lo/
E /por algum motivo/sabe-se lá qual/ nunca o conseguiu
Vez que se deixou/quiçá/ conduzir à revelia/ desmedida/
De seus parvos caprichos inconsequentes...
Sem valorizar sequer seus próprios talentos!

 -Então/ decida-se também a perdoar a Deus! – Perdoá-lO
Por não atender suas impertinentes solicitações /insistentes/
Vez que /a “Ele” /pra quem crer/ninguém o manipula/
Já que a Sua liberdade é/ verdadeiramente/ imanipulável/
Mesmo porque/ a todo o momento/ “Ele”/ Deus/ supre todas
As nossas necessidades/ abundantemente...ora!!

-Por fim/ totalmente livre/e reinaugurado/ voe na boca do vento/
E saboreai / despudoradamente/as inúmeras delícias de ser
Um perdoador/inveterado/ por decisão própria/
Sem predisposição alguma a se dispor/novamente/
A sofrer as dores d’uma alma/ sensível/à beça/
Por coisas tão miúdas...

RELMendes – 17/04/2018