segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Nascente Lacrada

                       ( pelo menos, por enquanto!)



Ah! Só voltarei a tecer poesias...
Poemas e versinhos singelos...
Se eu puder ver:
-A esperança despertar, novamente,
-A desconfiança ser banida da face da terra...
-A alegria suplantar a tristeza...
-A Verdade e o AMOR
Financiarem a JUSTIÇA...

Porque...neste exato momento,
Eu quero apenas:
-Curtir estrelas...resplandecentes,
-Palmilhar trilhas...desconhecidas,
Ignoradas...ou, quiçá, até estranhas...
Mas sempre enluaradas de alegria,
Polvilhadas de muita esperança
E de uma ternura sem fim...
E por fim, embalar-me nos braços
Dos meus transcendentais sonhos...

Ah! Mas se por acaso...
Eu ainda vier a tecer versos...
Tenham por certo, que só tecerei:
-Versos insolentes...
Daqueles que descortinam..
Despudoradamente,
O desabrochar secreto
Das margaridinhas silvestres...
-Versos abusados...
Que descrevam,
Sem pundonores algum,
O contorcer dos girassóis
Em busca de sol a pino...
-Versos corajosíssimos...
Que proclamem...em alto e bom som,
O valor sublime da liberdade...
Que certamente para mim
É um dos caminhos da felicidade...
E tenho dito!...


Montes Claros (MG), 03-05-2009

RELMendes

4 comentários:

  1. Maravilhoso poema. Não nos prive desse presente!

    ResponderExcluir
  2. Meus parabéns pelo Blog,,, ABSSEMPRE Romildo!!!

    ResponderExcluir
  3. Parar de poetizar, meu grande e querido poeta?! Nem pensar!! A poesia perderia um talento imenso e nós, seus leitores e admiradores, a chance de lê-lo e nos deixar emocionar, comover, envolver, chorar...
    A Esperança, a Alegria, a Verdade, o Amor e a Justiça não haverão - jamais - de lhe faltar, como fontes de inspiração permanentes, para o motivarem sempre a escrever e a nos encher de emoção tão intensa!... Com grande amizade e admiração!
    Raquel Mendonça.
    29.05.2013

    ResponderExcluir