segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Sertão Sedutor





Assunta só!

Não sei por que...
Melancólico,
Ponho-me a escarafunchar
Vínculos com o sertão...
Não sei por que
Persisto em viver aqui,
 Nesse lindo sertão.

Assunta só!

Tá me saltando da boca
A vontade louca de responder:
Há motivos sedutores de sobra...
Que me fazem
Aqui permanecer!...

Assunta só!

Aqui me afinquei,
( quer queiram ou não!)
E afincado aqui
 Vou ficar...
Até que aprouver a Deus
Para o Céu me chamar!...

Assunta só!

Enquanto houver nesse sertão:
Ternos nas folias de reis...
Festas de São Benedito...
São João e São Pedro,
Catopês... Marujadas e Caboclinhos,
Carne de sol, pão de queijo...
Feijão tropeiro e pequi...
Som de viola enluarada,
Cantigas de “Seresta”...
“Psiu Poético” de versos muitos,
E o luar... a alumiar e a clarear estradas
Por onde eu deva passar...
É claro que vou ficar aqui!

Assunta só!

Vou ficar sim...
Mas, só enquanto existir por aqui:
“Veredas” refrescantes muitas...
 E frutos diversos do cerrado
(Umbu, coquinho, mangaba,
Buriti, panã e pequi...)
Pra gente saborear!...

Assunta só!

Pode ter certeza,       
Mantido o ecossistema,
Persisto em ficar aqui...
Cravado nesse lindo rincão!...

Assunta só!...
Vou ficar aqui sim...
Porque nesse belo “Sertão,”
É onde se planta vida...
É onde se enterra o corpo,
E é onde se espera contente...
A dita ressurreição!

Montes Claros (MG), 22-11-2011                                              
RELMendes

Nenhum comentário:

Postar um comentário